PESQUISAR TEMAS E ARQUIVOS DO BLOG

sexta-feira, 9 de junho de 2017

10º dia da Trezena de Santo Antônio


Santo Antônio, ensina-nos a repartir o Pão

Um dos pontos de maior destaque na vida de Santo Antônio foi, sem dúvida, o amor pelos pobres, simbolizado no “pão dos pobres de Santo Antônio”. Muitas comunidades paroquiais mantém a bela tradição de distribuir o “pãozinho de Santo Antônio” todas as 3as feiras, principalmente no dia 13 de junho, na festa do “santo do mundo inteiro”. Assim como, certa ocasião, Santo Antônio repartiu todo o pão da sua comunidade com os pobres, quando o pão milagrosamente se multiplicou no convento dos frades, que nós também possamos dar continuidade a esse belo costume de repartir o” pão de Santo Antônio” com os mais pobres, nas diversas experiências de trabalho social em favor dos mais pequenos. 
Quem busca o pão da vida na comunhão deve necessariamente assumir o compromisso de repartir o pão com os mais excluídos de nossa sociedade.

Oração do dia:

Ó Deus, pelo exemplo de Santo Antônio, sempre muito perto do coração dos pobres, concedeis-nos o estímulo de lutar pela promoção humana de todos os irmãos pequenos e fracos. Dai-nos ainda a graça de aprender com Santo Antônio a nos dedicar com sentimentos de paz e de amor fraterno pelos mais excluídos de nossa sociedade.
Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Palavra de Deus

Atos dos Apóstolos 2,42-47

E todos continuaram firmes, seguindo os ensinamentos dos apóstolos, vivendo em amor cristão, partindo o pão juntos e fazendo orações.
Os apóstolos faziam muitos milagres e maravilhas, e por isso todas as pessoas estavam cheias de temor. Todos os que acreditavam estavam juntos e repartiam o que tinham entre si. Vendiam suas propriedades e seus bens e dividiam o dinheiro com todos, de acordo com a necessidade de cada um. Todos os dias, unidos, reuniam-se no pátio do templo. E nas suas casas partiam o pão e participavam das refeições com alegria e humildade. 
Louvavam a Deus por tudo e eram estimados por todos. E a cada dia o Senhor juntava ao grupo as pessoas que iam sendo salvas. 

Evangelho de São Lucas 9,11-17

Mas as multidões souberam disso e o seguiram. E Jesus os recebeu, falou a respeito do Reino de Deus e curou os que precisavam ser curados.
Estava anoitecendo, e por isso os doze apóstolos foram e disseram a Jesus: “Mande esta gente embora. Eles podem ir aos povoados e sítios que ficam por perto daqui e lá encontrarão o que comer e onde ficar, pois este lugar é deserto”. Mas Jesus respondeu: “Dêem vocês mesmos comida a eles”. Os discípulos disseram: “Só temos cinco pães e dois peixes. O senhor quer que a gente vá comprar comida para toda essa multidão?” Estavam ali mais ou menos cinco mil homens. Jesus ordenou a seus discípulos: “Manda o povo sentar-se em grupos de mais ou menos cinquenta pessoas”. 
Os discípulos obedeceram e mandaram que todos se sentassem. Aí Jesus pegou os cinco pães e os dois peixes, olhou para o céu e deu graças a Deus por eles. Depois partiu os pães e os peixes e os entregou aos discípulos para que eles distribuíssem ao povo. Todos comeram e ficaram satisfeitos, e os discípulos ainda encheram doze cestos com os pedaços que sobraram.

Preces da comunidade:

RESPOSTA: Ensinai-nos a repartir o pão e a ver Cristo no rosto dos mais pobres.

1. Vamos lembrar que Jesus, antes de multiplicar os pães no deserto, disse aos apóstolos: ”Dêem vós mesmos de comer”. Para que todos nós, seguidores de Cristo, sintamos que é nossa obrigação repartir o pão, estender a mão a todas as pessoas que precisam de ajuda, vivendo plenamente o mandamento “Amem-se uns aos outros”, rezemos.

2. Na visão pastoral de toda Igreja na América Latina fala-se muito na “opção preferencial pelos pobres”. Para que nossas paróquias e comunidades nunca deixem de priorizar os excluídos de nossa sociedade, rezemos. 

3. Santo Antônio é chamado “o santo dos pobres” porque se preocupava e dava atenção especial aos mais necessitados. Para que em nossas comunidades seja introduzido o costume de repartir “o pão dos pobres de Santo Antônio” e que nunca faltem os recursos para a pastoral social, rezemos. 

Oferecimento do dia:

Deus da vida, Deus dos pobres, Deus da misericórdia e da partilha, aceita as nossas oferendas, o pão e vinho, e não permita que falte o pão e o alimento na mesa de nenhum irmão. Que nós, como santo Antônio, façamos do “do pão dos pobres” um sinal de vida, de partilha e de fartura que deve existir em todas as mesas.
Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Palavras de Santo Antônio

“Em vão estende as mãos o que vai rogar a Deus pelos pecados, e não as estende aos pobres, segundo as posses.”

“Quem aperta uma pessoa pela goela, tira-lhe a voz e a vida. As posses do pobre são a vida dele, e como a vida vive do sangue, ele deve viver disso. Se tirares aos pobres seus parcos haveres, estarás a sugar o sangue dele, estarás a sufocá-lo, e enfim, tu mesmo serás sufocado pelo demônio.”

Invocação: Santo Antônio, amigo dos pobres, rogai por nós.

Oração final:

Senhor, nós vos agradecemos pelo testemunho de um franciscano, contemporâneo de Santo Antônio, que assim a ele se refere: “nós nunca ouvimos até os nossos dias um tão doce consolador dos pobres, nem um tão áspero admoestador dos ricos.” Que Deus nos dê sempre a doçura no trato com todos os pobres e a coragem de apelar para que os têm mais bens, nunca deixem de abrir seus corações para ajudar os mais pobres. 
Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Bom propósito:

Vou assumir o propósito de ajudar a alguma pessoa necessitada. Posso sugerir ao meu pároco,  se ainda não há esse costume, de introduzir na missa das terças feiras a benção do pãozinho de Santo Antônio, para que os fiéis, levando o pãozinho abençoado para casa, levem também a lição de amor aos pobres.