PESQUISAR TEMAS E ARQUIVOS DO BLOG

terça-feira, 21 de março de 2017

Vocação: Frei Alan Maia de França será ordenado #diácono no dia 25


Moacir Beggo

O carioca Frei Alan Maia de França Victor será ordenado diácono por Dom Orani João Tempesta no dia 25 de março, às 18 horas, na Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem, na Rocinha, Rio de Janeiro. Para ele, esta nova etapa em sua vida é “uma opção preferencial pelo serviço” a Deus e à Igreja como frade menor. Natural do Rio de Janeiro, onde nasceu no dia 5 de fevereiro de 1980, no bairro de Bangu, um dos mais quentes da capital carioca, é filho de Marinaldo e Anita Maria de França Victor e irmão de Aline, quatro anos mais nova.

Há dez anos, quando ainda trabalhava numa empresa particular de Banco de Sangue, decidiu buscar orientação vocacional. “Sentia o desejo de servir a Igreja de uma forma mais radical, participava ativamente da Paróquia São Judas Tadeu, onde fui coroinha por 7 anos, atuei como coordenador dos coroinhas por três anos, frequentei várias pastorais na Paróquia, era membro do conselho paroquial e do círculo bíblico de jovens. Participando das atividades da Paróquia, o pároco sempre me incentivava a participar do grupo vocacional do Vicariato oeste da Arquidiocese do Rio de Janeiro, que tinha sua sede em Bangu. Era um padre muito bom que coordenava este grupo, com meninos e meninas, e direcionava para o seminário ou casa religiosa, conforme a busca pessoal de cada um”, conta Frei Alan, até que, com ajuda da internet, fez contato com congregações e ordens religiosas.

“Entrei em contato com os frades a partir do e-mail disponível no site da nossa Província e respondeu um aspirante em nome do Frei Paulo lá do Seminário de Ituporanga. Depois de trocas de e-mail, me pediu que procurasse o Frei Hermenegildo Pereira, no Convento de Santo Antônio. No início de junho de 2006, fui acolhido por ele, conversamos durante umas duas horas no jardim do convento lá de cima. Ele, então, me convidou para o encontro vocacional no sítio Taquara, reunindo os jovens da Baixada e Frei Paulo Pereira e Frei Florival. Gostei do encontro, da acolhida. No mês de julho retornei ao Convento para conversar com Frei Hermenegildo, que me convidou para participar uma vez por mês dos encontros vocacionais. Participei durante quatro meses. Em novembro fui para o estágio em Guaratinguetá e, em 14 de fevereiro 2007, entrei no Seminário de Ituporanga”, recordou Frei Alan, que fez o Postulantado em 2008, e o noviciado em 2009, professando temporariamente no dia 3 de janeiro de 2010.

Frei Alan cursou Filosofia em Rondinha e Teologia em Petrópolis, onde morou de 2013 a 2014 no Sagrado e, 2015 a 2016, na Fraternidade Nossa Senhora de Guadalupe. Professou solenemente na Ordem dos Frades Menores no dia 6 de dezembro de 2014 e, ao concluir o Curso de Teologia, foi transferido para a Paróquia da Rocinha, no dia 22 de dezembro de 2016, onde reside e vai ser ordenado.

Site Franciscanos – Como é para você dar esse novo passo na sua vida religiosa?

Frei Alan – Sou feliz como frade menor e agradeço por tudo que a Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil me proporcionou durante estes anos de formação na caminhada formativa, com os estudos, as casas de formação e as fraternidades onde morei e conheci nos estágios. Aos confrades que me incentivaram a continuar a caminhada durante o processo formativo também faço meu agradecimento.

Depois de 10 anos na formação inicial, no último ano de Teologia, é o momento de pensar, discernir em relação a dar mais um passo como frade menor em relação aos ministérios ordenados. Fiz o discernimento e apresentei ao mestre o desejo de poder servir a Igreja como frade menor sendo ministro ordenado. Esse novo passo na minha vida religiosa é para servir a Igreja, a Província e o povo de Deus como frade menor no serviço da Palavra, no cuidado aos enfermos e pobres, no auxílio à liturgia como diácono nesta Fraternidade e ao povo bom e religioso da nossa Rocinha. Coloco-me à disposição para da melhor maneira possível exercer este ministério a serviço do povo. É uma responsabilidade o diaconato.

Enquanto sacramento de Cristo-Servo é expressão de uma Igreja servidora, uma Igreja em saída como nos pede o Papa Francisco. Como coloquei no convite: “Eis o teu servo, Senhor… Faça-se em mim segundo a tua Palavra” (Lc, 1,38), deixar Deus agir na minha vida como frade menor no exercício do ministério de diácono da Igreja. Viver a Palavra de Deus na minha vida religiosa e ser um instrumento para os irmãos e irmãs.

Site Franciscanos – O que significa ser diácono da Igreja para você?

Frei Alan – Ser diácono da Igreja é ser servidor de todos. Pela imposição das mãos do bispo, o diácono recebe publicamente, de modo irrevogável e definitivo, o mandato e a missão do serviço, consagrado pela graça do sacramento. Pelo testemunho de vida sou chamado a construir um mundo mais de acordo com o projeto de Deus. Quero viver o diaconato a partir da opção preferencial pelo serviço, missão e partilha de vida, a exemplo do amor de Jesus Cristo, que não veio para ser servido, mas para servir. Viver o ministério diaconal na Igreja é hoje um tesouro para fecundar a missão evangelizadora, como frade menor, no atendimento de tantas urgências e necessidades, no anúncio do Evangelho e na busca de uma vivência autêntica e comprometida da fé. O diácono é hoje uma presença amorosa de Cristo Servo na Igreja e na vida da sociedade, anunciando o Reino de Deus a todas as pessoas. É isso que quero viver como diácono na Igreja, de modo particular na paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem, na Rocinha e na Província.