PESQUISAR TEMAS E ARQUIVOS DO BLOG

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Vocação: 116ª turma do Noviciado agora está completa


Érika Augusto

São Paulo (SP) - Nesta segunda-feira, 6 de fevereiro, às 18h, a Paróquia São Francisco, na Vila Clementino, em São Paulo (SP), acolheu a celebração da admissão de 11 noviços franciscanos. Logo no início da celebração, o Ministro Provincial, Frei Fidêncio Vanboemmel, ressaltou que o fato talvez fosse inédito para a Província, para o noviciado e para a Paróquia São Francisco, em São Paulo.

A admissão dos noviços acontece em Rodeio (SC), no próprio noviciado. O Ministro afirmou que por conta de atrasos da emissão dos vistos dos postulantes em Angola, eles só conseguiram viajar agora, e por isso, a admissão aconteceu em duas etapas, em Rodeio e em São Paulo.

Outros 9 noviços foram admitidos no dia 14 de janeiro, e o grupo que recebeu o hábito nesta noite seguirá para Santa Catarina amanhã, 7, acompanhados no mestre de noviços, Frei Samuel Ferreira de Lima, para darem início a esta etapa da formação. Durante o dia, os postulantes puderam conhecer um pouco sobre a vida no noviciado e às 18 horas, celebraram com a comunidade e os frades sua admissão. Além dos jovens vindos de Angola, foi acolhido também Rodrigo José da Silva, de Campo Largo (PR), que fez o Postulantado no ano passado e por questões familiares não participou da celebração em janeiro.

A missa foi presidida pelo Ministro Provincial e concelebrada pelo Vigário Provincial, Frei César Külkamp, pelo definidor Frei João Francisco da Silva, por Dom Evaristo Pascoal Spengler, bispo da Prelazia do Marajó, Frei Valdecir Schwambach, pároco da Paróquia São Francisco, Frei Valdemiro Wastchuk, vigário paroquial da Fraternidade Franciscana da Porciúncula, em Luanda, Angola e Frei José Zanchet, do Largo São Francisco. Os frades de São Paulo e de Guaratinguetá também participaram da celebração festiva.

Antes de sua homilia (LEIA NA ÍNTEGRA), Frei Fidêncio convidou Frei Valdemiro para que fizesse a apresentação e chamada dos candidatos. Foram apresentados: Alberto Capingala Martinho Sambei, Angelino Socopia Sicaleta, António Sacaputo Maimo, Domingos Macuva Paulo, Eduardo José Cavita Camunha, Inoc Joaquim João, João Baptista Culiaquita, João Tchivandja Lino, José Francisco Inito, Silveio Munga Cajonde e Rodrigo José da Silva. Ao serem perguntados qual era o pedido para a Ordem dos Frades Menores, eles responderam:

“Sentindo-nos inspirados por Deus, desejamos participar da vida da Família Franciscana na Ordem dos Frades Menores. De coração vos pedimos que nos revestissem das vestes de provação e nos ajudeis a trilhar o caminho da penitência, a viver segundo a forma do Santo Evangelho, a observar a humildade e a pobreza de Nosso Senhor Jesus Cristo, a possuir o Espírito do Senhor, a rezar sempre de coração puro, a alimentar sem cessar o amor fraterno”.

O Ministro Provincial e os demais frades rezam pelos postulantes e aceitam o pedido feito.

Em seguida, Frei Fidêncio Vanboemmel deu sequência à celebração com a homilia. Ele falou aos 11 jovens sobre a etapa do noviciado. “Hoje vocês concluíram a primeira etapa da formação inicial para a vida religiosa franciscana que chamamos de Postulantado. Ao longo do período do Postulantado, tanto em Quibala como em Guaratinguetá, com a ajuda dos formadores, vocês tiveram o tempo necessário para clarear o chamado de Deus e manifestar o desejo de abraçar a Forma de Vida inspirada por Deus a São Francisco de Assis. Assim, todo o ano formativo do Postulantado foi um exercitar-se (oração, trabalho, estudo, vida fraterna, etc.) para chegar a este momento: a admissão ao Noviciado”, afirmou o Ministro Provincial.

Frei Fidêncio ressaltou também que o noviciado não é uma casa, mas é a vida, e que esta etapa se completa com os dons e virtudes de cada um, noviços e fraternidade formadora, e que esta nova etapa de vida exige deles criatividade.



"É na simplicidade do cotidiano que o Espírito Santo vai agir”, afirma Frei Fidêncio aos noviços

Sobre o Evangelho do dia, retirado de Mc 6, 53-56, o frade afirmou: “O tempo do Noviciado também pode ser identificado com o início do Evangelho de hoje: ‘tendo Jesus e seus discípulos acabado de atravessar o mar’. E a palavra que eu aqui quero acentuar é ‘atravessar o mar’. O Noviciado é uma travessia, com todos os riscos que isso implica: ter um timoneiro (Mestre e fraternidade), ter clareza para onde se quer ir (vida franciscana); remar juntos (vida fraterna); sujeito a tempestades (importância da fé)”, destacou.

Frei Fidêncio falou ainda que a rotina do noviciado pode parecer cansativa, até mesmo chata, afirmou, mas que é na simplicidade do cotidiano que o Espírito Santo vai agir. “Cada manhã e cada tarde é o tempo da graça”, acrescentou.

Ao final da homilia, os noviços receberam das mãos do Ministro Provincial o hábito franciscano e, em seguida, já com as novas vestes, receberam um abraço dos confrades. Em seguida, eles assinaram a ata do noviciado.

Após a comunhão, Frei Fidêncio chamou o mestre dos noviços, Frei Samuel, agradeceu pelo trabalho realizado e literalmente, entregou nas mãos do confrade os noviços. Os dez frades angolanos cantaram em ação de graças, e a comunidade toda aplaudiu.

Os noviços seguem nesta terça-feira, 7, para Rodeio (SC) onde darão início ao noviciado, que termina no final do ano.