PESQUISAR TEMAS E ARQUIVOS DO BLOG

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

"Jesus nos ama muito e quer estar próximo a nós”, afirma Papa


Cidade do Vaticano – O Papa refletiu sobre o milagre da multiplicação dos pães na Audiência geral desta quarta-feira (17/08). Diante de milhares de pessoas que lotaram a Sala Paulo VI.

"Jesus comoveu-se ao ver a multidão que estava extenuada e com fome e saiu ao seu encontro para socorrê-la. Não se preocupou somente com seus seguidores, mas desejava que seus discípulos se comprometessem em ajudar o povo, ordenando: "dai-lhes vós mesmos de comer"

A bênção de Jesus sobre os cinco pães e dois peixes anuncia de antemão a Eucaristia, da qual o cristão se alimenta e de onde tira forças para sua vida. A Eucaristia nos transforma em Corpo de Cristo e em alimento para nossos irmãos. Jesus deseja que seu alimento chegue a todos e que seus discípulos, que somos nós, sejam os que se dão aos  demais.

Jesus nos ensinou o caminho a seguir e nos manda que sejamos nós a levar aos demais a Ele, que é alimento que sacia e dá vida, cria unidade e comunhão. "

“Assim era Jesus, sempre com a compaixão. Sempre pensando nos outros”.

O Papa destacou uma reação de Jesus diante da multidão:

“Jesus não é frio, não tem um coração frio. Jesus é capaz de se comover”, disse o Pontífice.

Silêncio

Todavia – recordou o Papa – mesmo sentindo-Se ligado à multidão e sem querer que essa vá embora, Cristo tem necessidade de momentos de solidão, “de oração com o Pai: e muitas vezes passa a noite rezando com seu Pai”, disse Francisco.

E, assim, mais uma vez, Jesus se dedica ao povo. “A sua compaixão não é um sentimento vago; mostra toda a força da Sua vontade de estar próximo a nós e de nos salvar”.

“Nos ama muito, Jesus, e quer estar próximo a nós”, refletiu o Pontífice.

Nascer e renascer

Ao reiterar que o “Senhor vai ao encontro das necessidades do homem”, mas que, todavia, quer que cada um de nós participe concretamente da sua compaixão, o Papa traçou um paralelo entre o milagre dos pães e a Eucaristia.

“A comunidade cristã nasce e renasce continuamente desta comunhão eucarística” – prosseguiu o Papa – “Jesus quer chegar a todos, para levar a todos o amor de Deus. Por isso, faz de cada fiel um servidor da misericórdia”.

Tudo!

O Papa então conclui sua reflexão recordando que todos ficaram saciados.

“Quando Jesus com a sua compaixão, com o seu amor nos dá uma graça, perdoa os nossos pecados, nos abraça, nos ama, nunca faz pela metade. Tudo! Como aconteceu aqui. Todos se saciaram. Jesus preenche o nosso coração, a nossa vida, do seu perdão, da sua compaixão”.