PESQUISAR TEMAS E ARQUIVOS DO BLOG

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Frei Sérgio Silas: “O Ministério que hoje assumo não é um privilégio; é graça”


Frei Gustavo Medella (texto); Érika Augusto (fotos) 

“O Ministério que hoje assumo não é um privilégio; é graça”. Com esta afirmação, dita e repetida diversas vezes em suas palavras de agradecimento, Frei Sérgio Silas Damasceno recebeu, neste sábado, dia 4 de julho, a ordenação presbiteral. No mesmo discurso, o neo-sacerdote se comprometeu a se colocar a serviço do povo de Deus como presbítero franciscano, tendo como parâmetro Cristo do Lava-Pés, que se fez servo, e do Cristo pobre, humilde e crucificado, tão caro a São Francisco de Assis. A celebração ocorreu na Basílica Menor de Nossa Senhora da Boa Viagem, no Centro de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, e começou às 16h. A cerimônia foi presidida de forma discreta, serena e piedosa por Dom Nelson Westrupp, administrador apostólico da Diocese de Santo André, à qual pertence também o município de São Bernardo.

Concelebraram o Ministro Provincial, Frei Fidêncio Vanboemmel, o Pároco da Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem, Padre Giuseppe Bortolato, anfitrião da festa, o Pároco da Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Fátima, comunidade natal de Frei Sérgio Silas, Padre Antonio Luiz de Araújo (Padre Toninho), além dos confrades do Regional de São Paulo, o coordenador da Fraternidade de São Sebastião, SP, e pároco da Paróquia Nossa Senhora do Amparo, onde Frei Silas reside e atua, Frei Paulo Santana, colegas de turma e formadores. Também marcaram presença confrades estudantes de Petrópolis (Teologia) e Campo Largo (Filosofia). Estiveram presentes ainda os familiares do ordenando, com destaque para sua mãe, Maria Aparecida, além de amigos das diferentes épocas e dos diversos lugares por onde Frei Sérgio Silas passou e viveu.
A celebração transcorreu de forma tranquila, com serviço muito eficiente dos dois diáconos, dos acólitos, leitores, ministros e da equipe de música. Frei Diego Melo, do Serviço de Animação Vocacional, esteve nos comentários. Os cantos eram fáceis e conhecidos, porém profundos em suas letras e foram entoados com entusiasmo pela assembleia.

Na homilia, Dom Nelson, que é religioso da Congregação do Sagrado Coração de Jesus (SCJ), falou com muito carinho e desenvoltura sobre os aspectos próprios da espiritualidade franciscana. Exaltou a figura de São Francisco de Assis e relembrou que a primeira vocação daquele que se propõe a seguir o Santo de Assis não é a de ser sacerdote. “Para o religioso franciscano, o sacerdócio é uma maneira de se colocar a serviço da Igreja e do mundo ao modo de São Francisco, exercendo o ministério com profunda caridade, senso de fraternidade, de maneira simples e salvaguardando os bens da criação”, frisou o bispo. Dom Nelson também exortou Frei Sérgio Silas a buscar inspiração em Maria e lembrou, citando o Papa Francisco, que a vocação é um presente e que ninguém “compra ingresso” para ser um sacerdote, mas é chamado por Deus. Nesta consideração, o bispo foi ao encontro do lema escolhido por Frei Silas para marcar o seu compromisso sacerdotal “Não fostes vós que me escolhestes, mas fui eu que vos escolhi” (Jo 15,16).


Houve diversos os momentos emocionantes. A vestição foi um deles, quando Frei Silas foi revestido com as vestes sacerdotais, contando com o auxílio de Frei Paulo Santana, seu coordenador, e Frei César Külkamp, formador do neo-sacerdote em diferentes etapas da caminhada franciscana. Nesta hora, toda a assembleia entoava o clássico “A Ti, meu Deus” em plenos pulmões. Outro momento em que muitos ficaram com os olhos marejados foi logo após o rito da unção das mãos, quando Frei Silas, após tê-las ungidas e amarradas por Dom Nelson, apresentou-as à sua mãe, Maria Aparecida, que soltou o laço e recebeu, em prantos, a primeira bênção do mais novo padre.

Também merecem menção e destaque os momentos em que a Igreja lotada viveu um clima de profundo recolhimento e oração, como na hora da Ladainha de todos os Santos, quando o ordenando, deitado no chão, recebeu as preces de intercessão das Igrejas da terra (a assembleia ali reunida) e do céu (os santos e santas que participam da glória eterna de Deus). No rito de imposição das mãos, um silêncio profundamente orante encheu a grande igreja basílica de Nossa Senhora da Boa Viagem. Durante a oração eucarística, Frei Sérgio Silas fez uma prece especial na intenção de seu pai, Amadeu Damasceno, falecido quando o frade ainda era criança.

Falando em nome de todos os frades, o Ministro Provincial fez um grande agradecimento a todos, desde a famílias, aos párocos e às comunidades das duas paróquias que acolheram e preparam a festa, ao Bispo, Dom Nelson, à família de Frei Sérgio Silas e a todos os presentes. No final, com voz animada, convidou todos a rezarem para que haja cada vez mais vocações religiosas e sacerdotais. Logo após a celebração, todos foram recebidos com um farto lanche oferecido pela comunidade no salão paroquial.

Colegas de turma comparecem em massa

Fato que chamou a atenção na ordenação de Frei Sérgio Silas foi a presença considerável de seus colegas de turma do tempo de seminário, tanto entre os que permaneceram na caminhada franciscana quanto os que trilharam outros caminhos. Entre os frades, estavam: Frei Jeâ Paulo Andrade, que atualmente reside no Convento da Penha, em Vila Velha, ES; Frei Clauzemir Maximovitz da Fraternidade Nossa Senhora da Boa Viagem, na Rocinha, Rio de Janeiro; Frei Marcos Prado dos Santos, que está em Santo Amaro da Imperatriz, SC, Frei André Luiz da Rocha Henriques, residente em Florianópolis, e Frei Rodrigo da Silva Santos, atualmente no Seminário São Francisco, em Ituporanga, SC.


Diocese em processo de sucessão

O bispo ordenante, Dom Nelson Westrupp, está como Administrador Apostólico, mas já teve sua renúncia aceita pelo Papa Francisco. Dom Nelson terá como sucessor na Diocese de Santo André, Dom Pedro Carlos Cipollini, que veio transferido da Diocese de Amparo, interior de São Paulo. A posse do novo bispo está prevista para o dia 26 de julho, às 16h, na Catedral de Nossa Senhora do Carmo, no Centro de Santo André.

Fonte: Franciscanos

Veja mais imagens: