PESQUISAR TEMAS E ARQUIVOS DO BLOG

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Pontífice fala sobre as famílias que sofrem com a miséria


Nesta semana o Papa Francisco deu continuidade às suas catequeses sobre as famílias, durante a Audiência Geral. Nesta semana, o Pontífice destacou as famílias que sofrem com a pobreza, a miséria e as catástrofes, dizendo que os cristãos precisam apoiar sobretudo estas famílias.

Confira:

Na Audiência Geral o Papa Francisco continuou com as suas catequeses sobre a família, falando, desta vez, sobre aquelas famílias que vivem em situações de pobreza.

O Santo Padre afirmou, desde logo, que a miséria social é um drama que atinge as famílias seja nas grandes cidades, como no campo: desemprego, condições precárias de trabalho, bairros sem infraestruturas, serviços sociais e sanitários ineficazes, escolas sem qualidade, sem contar com o dano causado pelo consumismo e o narcisismo, tão difundidos pela cultura mediática.

Entretanto, em alguns lugares, como se não bastasse, a situação fica agravada pela “mãe de todas as pobrezas”, que é a guerra. Contudo, apesar de tantos obstáculos – observou o Santo Padre – existem muitas famílias pobres que procuram, heroicamente, conduzir a sua vida cotidiana de modo digno e honesto, tendo a Deus como o seu único suporte. Estas famílias salvam a humanidade da barbárie e “perante elas deveríamo-nos ajoelhar!” – sublinhou o Papa.

Desta forma, a Igreja, que é mãe, deve ser pobre para tornar-se fecunda e dar uma resposta a tanta miséria, através da oração e da ação – afirmou o Papa Francisco:

“Uma Igreja pobre é uma Igreja que pratica uma voluntária simplicidade na própria vida – nas suas próprias instituições, no estilo de vida dos seus membros – para abater cada muro de separação, sobretudo dos pobres.”

O Papa Francisco convidou os fiéis a rezarem com o texto do Livro do Eclesiástico, pensando nas famílias que vivem na provação da miséria – Eclo 4, 1-4:

“Filho, não negues esmola ao pobre, nem dele desvies os olhos.
Não desprezes o que tem fome, não irrites o pobre na sua indigência.
Não aflijas o coração do infeliz, não recuses a tua esmola àquele que está na miséria;
não rejeites o pedido do aflito, não desvies o rosto do pobre.
Não desvies os olhos do indigente, para que ele não se zangue”.

No final da catequese o Santo Padre saudou também os peregrinos de língua portuguesa:

“Saúdo a todos os brasileiros e demais peregrinos de língua portuguesa presentes nesta audiência. Queridos amigos, amanhã celebra-se a festa de Corpus Christi. Aprendamos do Senhor que se faz alimento, a tornar-nos mais disponíveis para os outros, servindo a todos os necessitados, especialmente as famílias mais pobres. Que Deus vos abençoe!”

Fonte: Rádio Vaticano