PESQUISAR TEMAS E ARQUIVOS DO BLOG

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Noviços fazem primeira profissão em Rodeio/ SC



Por Moacir Beggo

Todo ano é assim: a Primeira Profissão dos noviços na vida religiosa franciscana se torna uma grande e emocionante celebração. Difícil não se ‘contaminar’ pelo espírito de alegria e comunhão que toma conta do Noviciado São José, em Rodeio, na pequena cidade catarinense no Vale do Itajaí. E como lembrou o Ministro Provincial, Frei Fidêncio Vanboemmel, já são 114 anos vivendo este momento celebrativo nessa casa histórica da Província da Imaculada Conceição.

Desta vez, para fugir um pouco do calor intenso no Vale, a celebração aconteceu às 20 horas na Matriz de São Francisco de Assis. Frades de toda a Província, familiares e a comunidade de Rodeio marcaram presença neste momento único na vida dos catorze jovens noviços – Frei Angelo Fernandes Baratella, Frei David Belineli, Frei Erick de Araújo Lazaro, Frei Heberti Senra Inácio, Frei Leandro Ferreira Silva, Frei Raoni Freitas da Silva, Frei Samuel Santos Soares, Frei Alberto André António, Frei Crisóstomo Pinto Ngala, Frei Diogo da Silva Filipe, Frei Gabriel Sapalo Chico, Frei Honorato Salvador Gaspar Gabriel, Frei Paulino Kamussamba Sopindi e Frei Victorino Chico Tchimuku – que concluíram o “ano de provação” para ingressar na vida religiosa franciscana.

Frei Fidêncio Vanboemmel presidiu a celebração, tendo como concelebrantes o presidente da Fundação Imaculada Mãe de Deus de Angola, Frei José Antônio dos Santos, e o  guardião da Fraternidade do Noviciado, Frei Valdir Laurentino. Recordando a mensagem do Papa Francisco para o Ano da Vida Consagrada, que está sendo celebrado em 2015, o Ministro Provincial destacou três grandes objetivos que deverão marcar a vida desses novos filhos de São Francisco: olhar com gratidão o passado, viver com paixão o presente; e abraçar com esperança o futuro.

“Hoje à noite, aqui em Rodeio, nessa histórica casa da Província, nesta histórica casa de Rodeio, nós queremos render graças a Deus e olhar, sempre de novo, com gratidão para essa história de fé e experiência vocacional, de luta e discernimento pessoal, que tantos jovens fizeram neste espaço sagrado do Noviciado”, disse Frei Fidêncio.

O segundo objetivo, segundo o Ministro, viver com paixão a data e a celebração de hoje, era uma forma de todos os frades renovarem também, com paixão, a própria profissão religiosa. Mas Frei Fidêncio se concentrou no terceiro objetivo – abraçar com esperança o futuro – ao motivar os professandos. Segundo Frei Fidêncio, o Papa lembrou que a esperança não está nos números, ainda que para o mundo de hoje 14 noviços fazerem a Primeira Profissão é um número muito expressivo e importante. “A esperança que nós queremos viver é, sobretudo, o Espírito Santo de Deus que vai nos inspirar a viver com alegria, com paixão, com entusiasmo a nossa própria consagração”, disse o Ministro, lembrando que o Papa falou especialmente aos jovens consagrados, porque, em breve, “sereis chamados a tomar em vossas mãos a liderança da animação provincial, da formação, do serviço, da missão”.

Segundo o Ministro Provincial, esses jovens neoprofessos são protagonistas do diálogo com a geração que vai à frente, como os frades mais idosos da Província presentes na celebração, Frei Abel Schneider, Frei Cássio Vieira de Lima, Frei Anselmo München. “Podeis, em comunhão fraterna, enriquecerem-se com a experiência e a sabedoria. Mas ao mesmo tempo, nos lembra o Papa Francisco, vocês nos provocam a repropor o ideal que conhecemos no início da vida religiosa e oferecem, a todos nós, esse ímpeto, essa alegria, essa coragem, esse entusiasmo, a fim de, juntos, construirmos uma vida evangélica”, acrescentou.

Para isso, segundo o Ministro, a liturgia da Palavra do dia oferecia as orientações necessárias, como o seguimento de Nosso Senhor Jesus Cristo no Evangelho. Mas, lembrou Frei Fidêncio, torna-se necessário revestir de sentimentos que passam pela dimensão da cruz. “Nos suportarmos como irmãos, como fraternidade, celebrarmos, dia após dia, o perdão das nossas ofensas, das nossas faltas, das nossas omissões, amar, ser agradável um ao outro, nos deixarmos aplicar pela Palavra de Deus. E como diz a segunda leitura, de Tomás de Celano, ‘renunciar a todo amor próprio’. O importante é estarmos atentos às necessidades da fraternidade, devemos estar sempre juntos, alimentando o projeto fraterno, vivendo o projeto fraterno de vida e missão”, admoestou.

Segundo Frei Fidêncio, a profissão é estar sempre cheios da graça do Santo Evangelho. “Estar contentes quando podemos estar contentes, contentes quando podemos trabalhar com as nossas próprias mãos, estar contentes quando servirmos os leprosos da modernidade e estar contentes quando vamos às periferias existenciais. E assim, queridos confrades,  irmãos e irmãs, nós estaremos correspondendo às grandes expectativas que o Papa Francisco alimenta a todos os religiosos neste ano dedicado à Vida Consagrada”.

Ele finalizou convidando a todos a viverem essa consagração com alegria. “Nada de religiosos tristes, diz o Papa. Devemos ser religiosos felizes, alegres, satisfeitos, contentes. Viveremos, assim, a dimensão profética da nossa vocação de despertar o mundo para as coisas de Deus, despertar o mundo par ao Santo Evangelho. Nós seremos peritos em criar comunhão, criar laços fraternos num mundo tão ferido, tão cheio de fraturas. Nós, assim, teremos a coragem de sairmos um pouco mais de nós mesmos e, de fato, irmos às periferias como nos pede o Papa Francisco. E sempre de novo devemos nos perguntar: o que Deus, o que o mundo pede de nós, frades menores, hoje?  Queridos irmãos, irmãs, nos queremos celebrar com gratidão mais uma página da história do nosso noviciado em Rodeio. Queremos viver, com paixão, esse momento presente,  a profissão de vocês, e todos juntos queremos, sim, abraçar com esperança o futuro”, concluiu.

O RITO

Depois da Liturgia da Palavra, o Mestre dos Noviços, Frei Samuel Ferreira de Lima, fez a chamada de cada um e os apresentou ao Ministro Provincial. Em seguida, Frei Gabriel se dirigiu ao Provincial em nome de todos os noviços: “Pedimos humildemente, Frei Fidêncio Vanboemmel e a todos os confrades, que digneis admitir-nos à santa profissão na fraternidade dos Frades Menores”. Frei Fidêncio, então, respondeu:  “Bendito seja Deus, que vos escolheu para conosco caminhardes em nova vida”.

Depois da homilia, os professandos se aproximaram do Ministro Provincial e foram interrogados se estavam preparados para se consagrarem a Deus e buscarem a perfeição da caridade segundo a Regra e as Constituições da Ordem Seráfica. Depois, ajoelhados, com as mãos nas mãos do Ministro Provincial fizeram a profissão religiosa.  Em seguida, cada professando assinou o documento da profissão, expressando com isso que a vida passa a ser colocada sobre os desígnios de Deus, e cada neoprofesso recebeu do Provincial a Regra e as Constituições da Ordem dos Frades Menores. O rito terminou com o abraço da paz dos frades aos neoprofessos num gesto de acolhida e comunhão à Fraternidade Provincial.

AGRADECIMENTOS

Frei Fidêncio agradeceu enfaticamente ao guardião Frei Valdir Laurentino, na “retaguarda da casa”, e ao Mestre dos Noviços, Frei Samuel Ferreira de Lima.  Também demonstrou gratidão pela presença dos confrades neste momento tão significativo da Provínca da Imaculada, especialmente dos Definidores Frei Evaristo Spengler e Frei Germano Guesser. E não esqueceu de uma “palavra de carinho” a Frei Diego de Atalino Melo, pelo trabalho como animador vocacional da Província. “Sem esse trabalho não teríamos irmãos nas etapas de formação”.

Frei Fidêncio também falou com gratidão e carinho dos 25 anos da Missão em Angola, agradecendo pelo trabalho ao presidente da Fundação Imaculada Mãe de Deus de Angola, Frei José Antônio dos Santos. “Os frutos estamos vendo aqui com esses sete noviços fazendo a Primeira Profissão”, lembrou. Por último, não esqueceu de agradecer aos familiares dos neoprofessos e a comunidade de Rodeio.

Pelos noviços, falou Frei Crisóstomo: “Como neoprofessos sabemos da responsabilidade e da etapa que nos espera pela frente”, garantiu. E como já se tornou uma tradição no Noviciado, os noviços brasileiros e angolanos uniram suas vozes num canto em vários dialetos angolanos. Já se passavam das 22 horas, quando os noviços ainda se voltaram para a comunidade de Rodeio para agradecer com o canto “Como é bom esperar em ti”.

Desta turma de noviços, Frei Adriano César foi o cerimoniário. Como noviço da Fundação Franciscana de Nossa Senhora de Fátima, com sede em Uberlândia (MG), ele fará a profissão temporária no dia 11 de janeiro, às 10 horas, na Igreja Nossa Senhora de Fátima, na sede da Fundação. Ele é o último noviço da Fundação a fazer o Noviciado em Rodeio, uma vez que a Fundação Mineira vai se juntar à Custódia do Sagrado Coração de Jesus, de São Paulo. O noviciado será feito, então, na cidade de Catalão (GO).

Fonte: Site da Província Franciscana da Imaculada Conceição