PESQUISAR TEMAS E ARQUIVOS DO BLOG

sábado, 20 de dezembro de 2014

Dia da bondade


Em que posso servir?

Esta era a frase que Dom Luciano Mendes de Almeida dizia diariamente, a todos que encontrava. Fosse um cardeal, um político importante, ou um sofredor de rua. A simplicidade e a bondade deste bispo jesuíta não tinha limites.

Para nós, cristãos, a bondade tem um valor inestimável. Tendo como maior exemplo Jesus Cristo, é necessário que nos configuremos a ele, em todos os aspectos. Jesus era um homem bom. Ele agia misericórdia com as pessoas, sobretudo com os mais necessitados.

Você se recorda da parábola do Bom Samaritano? Ela é um bom exemplo de bondade e compaixão.

“Um homem ia descendo de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos de assaltantes, que lhe arrancaram tudo, e o espancaram. Depois foram embora, e o deixaram quase morto. Por acaso um sacerdote estava descendo por aquele caminho; quando viu o homem, passou adiante, pelo outro lado. O mesmo aconteceu com um levita: chegou ao lugar, viu, e passou adiante, pelo outro lado. Mas um samaritano, que estava viajando, chegou perto dele, viu, e teve compaixão. Aproximou-se dele e fez curativos, derramando óleo e vinho nas feridas. Depois colocou o homem em seu próprio animal, e o levou a uma pensão, onde cuidou dele. No dia seguinte, pegou duas moedas de prata, e as entregou ao dono da pensão, recomendando: ‘Tome conta dele. Quando eu voltar, vou pagar o que ele tiver gasto a mais’.”

Entre os três personagens, aquele que agiu com bondade era o mais simples, de onde menos se esperava ajuda. Muitas vezes em nossas vidas é necessário ser o bom samaritano. Agir com bondade, sem esperar recompensas.

Em nosso cotidiano, muitas vezes conturbado, não é difícil mantermos nossos corações fechados. Passamos pela rua e sequer damos bom dia àqueles que encontramos, estamos sempre preocupados com nossas tarefas, nossos compromissos, passamos por pessoas que sofrem e não damos um olhar, uma palavra de conforto. Cada vez mais encontramos pessoas que falam apenas de si, não conseguem manter um diálogo, pois a vida do outro não a interessa.

Ser bom não significa fazer grandes ações. A bondade é cultivada a cada gesto, a cada palavra, a cada momento. A transformação que a sociedade precisa só acontecerá quando cada um fizer a sua parte. Assim, unindo nossas boas ações, construiremos um mundo melhor, mais justo, fraterno e humano.
“Em que posso servir?” – que esta frase de Dom Luciano possa estar em nosso coração e em nossos lábios neste dia 20 de dezembro, dia da bondade.

Paz e Bem!