PESQUISAR TEMAS E ARQUIVOS DO BLOG

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Histórias Reais: “O Abraço Mágico”


Simplesmente LINDA essa história! 
O poder do amor é infinito mesmo…

“Kyrie e Brielle Jackson nasceram dia 17 de outubro de 1995, no Memorial Hospital de Massachusetts em Worcester. Cada uma dos gêmeas pesava em torno de 900g ao nascer e foram colocadas cada uma em sua respectiva incubadora. Porém, uma delas tinha poucas chances de sobreviver.

Kyrie estava ganhando peso nos dias que seguiram seu nascimento, mas sua irmã, Brielle, não estava bem. Ela havia chorado muito, o que a deixou ofegante e arroxeada.
Naquela ocasião, Brielle estava tendo um dia particularmente ruim. A enfermeira da UTI Neonatal Gayle Kasparian tentou de tudo para acalmá-la. Ela segurou Brielle. Fez com que o pai a segurasse no colo. Envolveu a pequena em um cobertor. Aspirou seu narizinho. E nada funcionou.

Então Gayle lembrou-se de um procedimento feito na Europa, onde gêmeos eram colocados juntos na mesma incubadora. Porém, isso era contra as regras do Massachusetts Memorial Hospital. Mas sabendo que a pequenina tinha pouco tempo de vida, ela colocou Brielle na incubadora com a irmã Kyrie, contrariando as regras do hospital.

O bebê saudável, Kyrie, aconchegou-se ao lado de Brielle e colocou seu braço sobre a irmã, num abraço carinhoso. Quase que imediatamente, a taxa de batimentos cardíacos do bebê menor estabilizou-se e sua temperatura voltou ao normal. Seu nível de saturação, que tinha sido assustadoramente baixo, normalizou-se. Ela começou a respirar mais facilmente. O choro inconsolável parou e a coloração rosada da pele rapidamente retornou.

Nas semanas seguintes, sua saúde melhorou continuamente em sua nova, e menos solitária, casa. As crianças sobreviveram às dificuldades iniciais após seu nascimento e, depois de algum tempo, foram para casa com os pais. Da última vez que se ouviu falar delas, Brielle e Kyrie eram meninas em idade pré-escolar, vivendo muito saudáveis.

Quando a mudança dramática na vida Brielle ficou óbvia para os funcionários do hospital e para a comunidade, Chris Christo, do jornal Worcester Telegram & Gazette, foi ao hospital e tirou uma foto das duas irmãs juntas. Esta fotografia tornou-se imediatamente famosa e apareceu na revista Life e na Reader’s Digest.



A saber… outro método utilizado para estabilizar prematuros é o método canguru, onde há contato pele a pele prolongado com os pais e outros cuidadores. Muitas vezes a criança, vestindo apenas uma fralda e coberta por uma manta, é colocada contra o peito nu da mãe ou do pai. O método é especialmente eficaz com bebês prematuros, que são extremamente frágeis e têm a pele super fina. Estudiosos garantem que o método pode ter efeitos surpreendentes: uma taxa de batimentos cardíacos mais estável, melhora na respiração, maior bem-estar, melhora da qualidade do sono, entre outros.”
MILAGRE OU CIÊNCIA?

ENTÃO? JÁ ABRAÇOU ALGUÉM HOJE?