PESQUISAR TEMAS E ARQUIVOS DO BLOG

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Beatificação de Frei Miguel Ângelo

Foi em outubro do ano passado que centenas de fiéis e admiradores do trabalho de Frei Miguel Ângelo de Cingole, se reuniram na paróquia São Judas Tadeu, Popularmente conhecida como Igreja dos Capuchinhos, para comemorar os seus 104 anos.

Em junho de 2012, o frei foi internado no Hospital São Lucas. Segundo os médicos, ele não sofria de doença nenhuma, nem diabetes, nem colesterol, não nada do tipo, apenas fraqueza por conta da idade. 

Adorado, não só pela comunidade em que se instalou na década de 60, o frei nasceu no ano de 1908, em Cingoli, na Itália, e aprendeu desde cedo o espírito de sacrifício. Entrou no Seminário dos Frades Menores Capuchinhos da Província das Marcas de Ancona em 04 de outubro de 1926 e ordenou-se em 29 de julho de 1934 quando recebeu o nome de Frei Miguelângelo de Cíngole.   

Vindo para o Brasil no ano de 1935, fixou-se na Bahia onde lecionou para seminaristas e noviços.

Exerceu atividades missionárias também nos municípios baianos como Entre Rios, Rio Real, Jandaíra e Redondezas. Frei Miguel chegou à Aracaju em 1963 por designação da ordem e aqui exerceu o melhor da sua atividade pastoral e missionária. São 64 anos de trabalhos exercidos com amor e perseverança com a comunidade de todo o estado de Sergipe.

Na década de 70 e 80 o religioso foi vigário de Maruim, Santo Amaro, Rosário do Catete e General Maynard. Mas foi em Aracaju, especificamente no bairro América, que Frei Miguel marcou presença sempre paciente na hora de atender e ajudar a população.

Frei Miguel Ângelo morreu há um ano. Ele foi padre capuchinho da Igreja São Judas Tadeu, no Bairro América, na Zona Oeste de Aracaju.