PESQUISAR TEMAS E ARQUIVOS DO BLOG

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Missão Franciscana em Angola!

“Ide por todo o mundo, proclamai a Boa Nova a toda a criatura.” (Mc. 16,15)

Minha experiência missionária em Angola começou em Janeiro de 2011, hoje 20 meses depois, muitas coisas eu vi, vivi e senti. E é isso que posso em poucas palavras partilhar.

Diante das novidades e descobertas do início, pude ver as reais dificuldades que o povo enfrenta no seu dia - a – dia, desafios e dificuldades que o missionário também encontra, e que devem ser encaradas com coragem e disposição para que o desânimo e o pessimismo não ofusquem o olhar do missionário. Vi e senti desde o início o jeito simples, festivo e alegre do povo angolano, que não desespera diante dos desafios da vida, apesar das marcas negativas que a guerra deixou na alma do povo.
A manifestação da fé nas celebrações eucarísticas com suas danças, cantos em língua nacional, e o jeito próprio de louvar a Deus me cativaram e fizeram entender a centralidade e universalidade da fé em Jesus Cristo nosso Mestre e Senhor.

Ao longo do tempo de vivência na missão percebi que muitas vezes temos que despir o olhar e a mente daquilo que trazemos conosco de nossa cultura, costumes e modelos de pensamento, não como negação do que se é, mas como forma de abertura para o novo, o diferente, afim de que se possa entender o povo e seu jeito, sem preconceitos e com respeito. 

Nesse curto tempo como missionário na Fundação Imaculada Mãe de Deus de Angola aprendi dos angolanos valores significativos para minha formação de frade menor, tais como: família, vida, partilha, hospitalidade, respeito pelo outro, identidade cultural de um povo, etc. Hoje posso dizer com clareza que aprendi mais do que ensinei, ganhei mais do que dei, sorri mais do que chorei e em muitas outras coisas sempre recebi com abundância, comprovando a verdade do evangelho. “E todo aquele que deixar casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou filhos, ou campos por amor de meu nome receberá cem vezes mais e possuirá a vida eterna” (Mt,19,29).

Assim cabe agradecer a Deus Altíssimo e bom Senhor que acompanha e protege em todos os momentos da vida, aos confrades de longe e de perto que nos ajudam com suas orações, apoio e atenção. Que as palavras de nosso Pai Francisco “O nosso convento é o mundo” nos anime e encoraje no anuncio do evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo em nossa  Missão em Angola.

Frei Fábio José Gomes, OFM