PESQUISAR TEMAS E ARQUIVOS DO BLOG

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Reflexão Dominical


24º Domingo do Tempo Comum
Sexta – Exaltação da Santa Cruz
Sábado – Nossa Senhora das Dores

Caríssimos irmãos e irmãs
Paz e Bem!
Mais um final de semana chegando, e nós aqui nos encontramos para partilhar a Palavra, aprender um pouco mais com ela, transformá-la em prática de nossas vidas. No fundo, o que queremos é fazer com que a Sagrada Escritura possa neste mês da Bíblia e sempre, se tornar para nós uma fonte de onde aprendemos a ser melhores e a viver aquilo que o Senhor nos ensina.
Neste fim de semana, de forma particular, celebramos algumas festas significativas da Igreja. A começar pela sexta feira onde recordamos a Exaltação da Santa Cruz, uma festa que nos remete àquela Sexta Feira Santa, onde o Cristo, na cruz pendente nos remiu e dela nos trouxe a Salvação. Elevado da terra, como havia, atrairá todos a ele. A cruz agora é sinal de vitória, de ressurreição, de vida.
No dia seguinte, e profundamente ligada a o dia anterios, recordamos o dia de Maria, sob o titulo de Nossa Senhora das Dores. Uma mãe que vive com seu filho os momentos mais difíceis. Saber que ele foi preso, ve-lo condenado injustamente à morte, acompanha-lo no caminho do Calvário, recebe-lo frio em seus braços trêmulos, deposita-lo no sepulcro. São as dores de Maria. Atirada nos abismos da dor com Ele, ressurgirá com alegria incontida na manhã do primeiro dia da semana. É por tudo isso, que ela consegue entender nossas dores e é invocada nos momentos que mais precisamos. A mãe das Dores, se torna hoje a mãe de nossas dores.
Enfim, o evangelho nos remete àquele bonita conversa entre os discípulos e Jesus. Uma conversa que vai terminar numa afirmação categórica e decidida de Pedro: “Tu és o Messias”. Contudo, no mesmo evangelho, o lado humano de Pedro também fala e recebe do Senhor uma grande lição. Entender o Messias como alguém que deveria sofrer, ser condenado, não aceito, é algo muito difícil para os discípulos, o que exigiu muito deles, afinal, como todos em Israel, eles esperam Senhor glorioso, todo poderoso.
O cristianismo antes de ser uma religião, uma doutrina, uma moral, é acima de tudo a resposta que damos a pergunta de Jesus: quem sou eu pra você? Não basta saber quem é Jesus, é preciso saber o que ele é para nós.
Quem é Jesus para você? O que Ele significa pra você? Que peso tem Ele na sua vida? Que lugar Ele ocupa?
Que Ele nos ajude a darmos a Ele a melhor resposta.