PESQUISAR TEMAS E ARQUIVOS DO BLOG

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

2º Domingo de agosto: Vocação à Família


Dia dos pais


            Meus caros amigos, amigas, benfeitores e colaboradores do Pró-Vocações:
Paz e Bem!
            Final de semana gostoso este que se aproxima. Muitos de nós nos reuniremos em família, alguns pegarão as estradas para viajar, alguns comprarão um “presentinho” de ultima hora, afinal de contas, no domingo lembramo-nos da vocação à família, e de forma toda particular, comemoramos o dia dos pais.
Para alguns eles são totalmente presentes, carinhosos, atenciosos, para outros ausentes, distantes, carrancudos, contudo, ninguém pode negar que a figura paterna é extremante importante no seio de uma família, afinal de contas, além de genitores, todos os pais são chamados propagadores de valores e princípios dentro de uma família.
Como franciscanos e franciscanas, também não poderia nos escapar a grande seguidora de Francisco de Assis, ou mesmo, a grande mulher corajosa que celebramos neste 11 de agosto: Clara de Assis. Protagonista de uma história pessoal de fé, seguimento e testemunho. Clara, abraça com fidelidade um proposito de vida encantador, que o Cristo havia suscitado no coração de Francisco. Há 800 anos, exatamente comemorados na festa deste fim de semana - afinal era 1212 quando ela resolve fugir de casa e abraçar definitivamente este propósito – as irmãs Clarissas buscam testemunhar na vida contemplativa a mesma coragem e audácia, diante de um mundo cada vez mais individualista e competitivo. Buscam ser fraternidade e pobreza num contexto sempre mais exclusivista e materialista. Salve Clara de Assis!
Enfim, o evangelho reflete o que muitos santos testemunharam com a vida: a necessidade de uma fé sempre viva e eficaz. Por que será que os apóstolos não conseguiam realizar os mesmos gestos de Jesus? A resposta o mestre dá: a fé é pouca, é pequena, menor mesmo que um grão de mostarda. Que tal nos perguntarmos a respeito da medida e da intensidade de nossa fé em Cristo e em sua proposta. Perguntemos para Clara, para Francisco, e tantos outros, se foi fácil para eles...e respondamos nós mesmos com nossas vidas.
Que o Senhor nos abençoe.