PESQUISAR TEMAS E ARQUIVOS DO BLOG

quarta-feira, 11 de abril de 2012

“Viram e creram”

Pedro e João alertados pelas mulheres: “Vimos o Senhor”, correm ao sepulcro, encontram-no vazio, os panos e o sudário dobrados à parte...e “creram”.
Pelos “sinais”: sepulcro vazio, os linhos dobrados, eles crêem! Aliás, a convicção da Ressurreição do Senhor é confirmada pelas testemunhas: “... A nós que tivemos a honra de comer e beber com Ele, após a ressurreição” At 10,41b.
A Ressurreição é acontecimento vital para a Igreja, pois recorda-nos que somos peregrinos a caminho para a vida definitiva. E mais, esta alegre notícia das mulheres mensageiras da Ressurreição é portadora de esperança e fé, porque a Vida venceu a morte!
É interessante lembrar que o anúncio do nascimento de Jesus foi levado pelos anjos aos pastores, e o anúncio da Ressurreição do Senhor foi levado pelos anjos às mulheres, porque na fidelidade ficaram junto ao Senhor até a Cruz.
Daí, o anjo lhes assegurar: “Não tenhais medo. Sei que procurais Jesus , o Crucificado. Não está aqui, ressuscitou conforme tinha dito. Ide logo dizer aos discípulos que Ele ressuscitou dos mortos...” Mt 28, 5-7a.
Os judeus não crêem no Cristo Ressuscitado, nem nas evidencias de sua Ressurreição, enquanto Pedro e João “viram e creram”, Jo 20,8.
Tem mais: os discípulos durante 40 dias, pelas sucessivas aparições, foram iluminados pela fé, confortados pela esperança e inflamados pelo amor.
Hoje, 2000 anos após, temos de abrir espaço para que o Ressuscitado reviva sempre em nós para que possamos fazer o bem, consolar os aflitos, sustentar os fracos, iluminar os cegos, socorrer os pobres e ajudar os humildes, “Para que a vida de Jesus se manifeste em nós” 2Cor 4,10.
O apelo atual, a exemplo dos discípulos de Emaús: “Fica conosco, Senhor”, para juntos caminharmos, para juntos partilharmos a Palavra, e, juntos à mesa, partirmos o pão.
“Fica conosco, Senhor”, para que na fé e no amor fraterno testemunhemos esta presença e este dinamismo aos nossos irmãos e irmãs. E ainda, dizer como Pedro, na entrada do Templo, ao coxo que lhe pede uma esmola: “Não tenho nem ouro, nem prata, mas o que tenho, eu te dou: Em nome de Jesus Cristo, - “o Ressuscitado”, - põe-te a caminhar” At 3,6.

Frei Atílio Abati, ofm.