PESQUISAR TEMAS E ARQUIVOS DO BLOG

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Natal - Sinal Verde!

Por Frei Atílio Abati
Em certo momento da história humana, o homem rebelou-se contra Deus rasgando sua carteira de identidade assinada pelo próprio Criador. Fomos criados para a felicidade e fomos envolvidos numa esfera de amor, desde o início da criação. Todavia, a rebeldia do homem o torna infeliz. Mergulha nas trevas. Convive com a solidão e com a angústia.
O sinal vermelho – símbolo do pecado – impedia a humanidade a caminhar para a liberdade, para a luz e para a felicidade, porque a porta estava fechada. No entanto, aos poucos, a porta se abre, a passagem proibida é desobstruída e o perigo na pista desaparece. Uma luz de esperança brilha no horizonte, um anúncio alegre nos é proclamado: o sinal verde se abre, a passagem está aberta, Cristo entra no mundo. É Natal. É nascimento. É vida nova.
Uma nova luz invade o universo. Os corações são penetrados por Deus. Celebra-se a festa da alegria, da esperança e da libertação.
Neste novo tempo, que o coração de todos se abra e se deixe envolver por esta chama de amor do Menino Deus. O egoísmo seja quebrado e eliminado, a solidão seja banida, o diálogo entre pessoas, nações e povos seja reavivado, a paz seja restabelecida e a fraternidade seja uma conquista de todos.
O tempo do Natal nos convoca a uma renovação interior, arrancando as trevas de dentro de nós para dar lugar à luz, tirando os obstáculos do orgulho, do egoísmo, das divisões, das resistências e da auto-suficiência para criar espaço para Deus. Pois um coração povoado pela maldade não tem lugar para o seu Senhor!
No amanhecer deste Natal, façamos uma profissão de fé no Menino de Belém, crendo que por Ele, Deus está totalmente entre nós, crendo que nos ama profundamente, crendo que não está indiferente aos destinos do mundo, crendo que continua no meio de nós, crendo que se comunica e se dá a cada um de nós e, crendo, enfim, que o humano está sendo penetrado pelo divino, para ser transformado.
Não pode haver tristezas e dúvidas quando a vida nasce e não pode proliferar o desânimo e a apatia quando a esperança ressurge.
Tomara, que neste 2012, Deus não precise bater em seu coração para nascer, não precise insistir para ser recebido, pois o sinal verde deve ter sido dado.