PESQUISAR TEMAS E ARQUIVOS DO BLOG

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Campanha da Fraternidade 2011!

“Fraternidade e Vida no Planeta”


Como em todos os anos, na Quaresma, as práticas de jejum e caridade vem acompanhadas de um tema para reflexão. Este ano a CNBB propõe que olhemos para o sofrimento da natureza, e procuremos entender de que maneira estamos contribuindo para o agravamento de questões, como a destruição do meio ambiente, o aquecimento global e as mudanças climáticas que ameaçam todas as formas de vida no planeta, prejudicando em especial os mais fracos e pobres.
A idéia da CF é identificarmos o problema e cobrarmos ações de órgãos governamentais e da própria sociedade, promovendo discussões sobre as causas e conseqüências desta agressão à Biosfera.
Precisamos entender que o planeta Terra é nossa casa, não temos outro planeta pra viver, e as vidas futuras só poderão viver em paz, sem fome, sem sede e com dignidade, se tomarmos as medidas de proteção agora!
Todos os seres vivos e o meio ambiente se relacionam e o mal que se causa a um, fatalmente prejudicará o outro. É o “efeito borboleta”, portanto não adianta fecharmos os olhos e dizermos que não é conosco.
É fato visível e comprovado que o planeta passa por grandes desequilíbrios climáticos causados pela poluição, apesar dos países ricos e industrializados não admitirem o fato, afirmando tratar-se de um fenômeno normal.
A produção de plásticos, isopor, as queimadas, a criação de grandes rebanhos de gado, o extermínio da biodiversidade, o uso indiscriminado de fertilizantes e inseticidas resultam na produção de gases perigosos, como o dióxido e o monóxido de carbono, o óxido nitroso e sulforoso, o hexafluorcarbono, que em contato com a água da chuva agravam ainda mais o problema, originando a chuva ácida.
No livro do Gênesis, Deus dá ao homem a missão de cuidar da criação, submetendo-a à descendência de Adão, não para explorar, mas para cultivar a terra e dela tirar seu sustento. Deus mais à frente, faz uma aliança, não apenas com Noé, mas com toda criatura que sai com ele da arca. Em Deuteronômio 20,19 Deus diz que ao entrar em uma cidade conquistada não se deve derrubar as árvores, em Dt 22,6 Deus diz que ao pegar os ovos para comer, deve-se preservar a ave mãe, e ainda no cap. 23,13 Deus diz que não se deve deixar seus dejetos expostos, sendo correto enterrar, para não gerar doenças.
O cuidado com o meio ambiente deve ser nossa resposta de amor a Deus. Não podemos ser predadores da criação, mas protetores, pois se somos imagem e semelhança de um ser Criador incorpóreo, lhe somos semelhantes no Espírito e devemos honrar isto.


Denise Martins
Professora de Biologia
(é também catequista e colaboradora na Igreja de São Francisco, do Largo São Francisco em São Paulo).

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

800 ANOS DA ORDEM DE SANTA CLARA!

A Ordem Franciscana vive momentos intensos de celebração e refaz a memória do início da aventura evangélica iniciada pelo pai Francisco e pela sua plantinha, a mãe Clara. Passaram-se 800 anos desde aquela noite de Domingo de Ramos, quando, Clara, atraída ao seguimento de Jesus Cristo pobre e crucificado pela exortação do pobrezinho de Assis, foge da casa paterna e ultrapassando o limiar da “porta dos mortos”, majestosamente, deixa que o mundo, com suas riquezas, siga por uma estrada, enquanto ela, que se tornaria mais tarde sinal claríssimo da “Dama Pobreza”, faz, alegremente, opção pela vida oculta, silenciosa, despojada, simples, sem atrativos externos, na mais alta pobreza, entretanto uma vida iluminada pela vivência radical da Palavra, pela presença do Espírito, a quem desejava acima de todas as coisas.
É o momento de reavivar o dom da vocação e de dar graças por um carisma tão especial!
As Irmãs Clarissas, sob a orientação do Ministro Geral, reunidas em janeiro de 2008, no I Congresso de Presidentes de Federações da Ordem de Santa Clara, apresentaram a toda a Ordem algumas propostas de um itinerário e temas comuns a serem aprofundados como preparação ao VIII centenário do início da vida de S. Clara em S. Damião. Poderíamos assim dizer que os temas, escolhidos com esmero e sob a ação do Espírito Santo, falam daquilo que é essencial em nossa vocação e missão. É bonito ver as Clarissas do mundo todo, unidas num mesmo ideal, seguindo os mesmos passos para uma celebração que as une como Ordem, como filhas de S. Clara e de S. Francisco.


2009: Vocação - identidade e relação com a primeira Ordem, a redescoberta das fontes.
- “Conhece a tua vocação” (Test SC). Para Santa Clara, a vocação era o Dom por excelência, o maior, entre tantos, recebidos do Pai das misericórdias.
- Através das palavras de nosso Ministro Geral, dia 06.02.2008, em Assis, sentimos que crescemos muito na relação com a primeira Ordem, somos, de fato, irmãos: “Se Francisco e Clara são duas almas gêmeas, duas vidas inseparáveis, os Irmãos Menores e as Irmãs Pobres de Santa Clara, não podem caminhar por caminhos paralelos. Depois deste encontro em Assis, altar de nossa memória, e de nossa passagem pela Porciúncula, onde nascemos para o Evangelho, não podemos não nos amarmos e respeitarmos como irmãos e irmãs”.


2010: Contemplação – vida espiritual, vida em Cristo, escuta, silêncio, conversão.
Sempre mais vamos descobrindo o papel e a importância de Santa Clara na espiritualidade franciscana e uma de suas maiores contribuições é certamente a de ser mestra de contemplação. Ela propõe uma verdadeira transformação da pessoa amante na pessoa amada:
“Ponha a mente no espelho da eternidade, coloque a alma no esplendor da glória, ponha o coração na figura da substância divina, e transforme-se inteira, pela contemplação, na imagem da divindade” (3CtIn 12).


2011: em altíssima pobreza – requalificar a escolha da pobreza, minoridade, expropriação, restituição, escolhas concretas de solidariedade.
“A Forma de vida da Ordem das Irmãs Pobres que S. Francisco instituiu é esta: observar o santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, vivendo em obediência, sem nada de próprio e em castidade.”(Regra de S. Clara).


2012: ano da celebração: A santa unidade.
A fraternidade é a nossa carta de apresentação, o nosso rosto, o nosso modo de viver o Evangelho e de testemunhar Cristo. Celebraremos os 800 anos de nossa Ordem nos alegrando precisamente com o “Dom” preciosíssimo do Pai das Misericórdias, por cada Irmã, que gera a fraternidade. Com reconhecida alegria, podemos, certamente ouvir nestas celebrações a mãe S. Clara dizer a cada uma: “Filha especial entre todas as outras, singular sacrário de meu cordial amor, minha alegria e minha coroa, avança com confiança e alegria pelo caminho da bem-aventurança!”


Irmãs Clarissas do Mosteiro Mater Christi

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Campanha da Fraternidade 2011!

FRATERNIDADE E VIDA NO PLANETA


Neste ano, a campanha da fraternidade nos convida a promover a vida, cuidar da natureza, dom da bondade divina, e lutar, para derrotarmos juntos o aquecimento global, preservando assim a nossa vida e a do planeta terra. Fomos criados para a comunhão com os nossos semelhantes e com Deus, por isso, comprometidos com a vida em plenitude que nos cerca.
O tema proposto para este ano é: “A fraternidade e vida no planeta”. Todos sabemos, que o planeta terra é nossa casa comum, que devemos zelar e cuidar dele. No entanto, estamos abusando, explorando e destruindo esta nossa casa comum. Deve-se cuidar do meio ambiente, ameaçado por interesses econômicos e tecnológicos. Pois quem explora a natureza diminui a vida e prejudica consequentemente toda a humanidade. A natureza está sendo agredida, a terra depredada. Não dá de calar diante do desmatamento irracional, da poluição das fontes, dos rios e do mar, da degradação da biodiversidade, da extinção de espécies animais, da depredação das reservas ecológicas, do acúmulo de lixo, do descarte dos resíduos tóxicos, do uso abusivo da terra, da dependência crescente dos combustíveis fósseis, da intoxicação dos alimentos.
Fala-se muito em aquecimento global, e, ele ocorre justamente em função da busca desenfreada de nossa ganância e bem-estar. A emissão de gases poluentes, sobretudo, da queima de combustíveis fósseis (gasolina, diesel) na atmosfera, esta acelerando o processo de aquecimento do planeta. Estes gases: ozônio, dióxido de carbono, metano, óxido nitroso e monóxido de carbono, formam um camada poluente de difícil dispersão, causando o efeito estufa. O desmatamento e a queima de florestas e matas também colaboram no processo. Os raios de sol atingem o solo e irradiam calor na atmosfera. Como esta camada de poluentes dificultam a dispersão do calor, o resultado é o aumento da temperatura global.
O planeta todo nos foi entregue para ser utilizado com sabedoria. A natureza é uma herança gratuita que recebemos de Deus e que devemos cultivar. Ela não é um deus, mas sinal da expressão da bondade e da beleza do único e verdadeiro Deus. Ainda mais, ao violentar a natureza, ela adoece ou é ferida gravemente. O que nos foi dado para ser uma bênção se transforma em maldição.
Se zelarmos pela natureza, primando a defesa do planeta terra, do ar e da água, dons da criação, estaremos protegendo o homem da destruição de si mesmo. Basta nos lembrarmos das grandes catástrofes ocorridas nos últimos anos: furacões, tufões, ciclones, enchentes, etc. Muitos deles gerados pelo nosso desamor e mal tratos à mãe Terra. Para citar alguns exemplos: em 2010, uma onda de calor matou, em Moscou, 70 pessoas por dia, e no Paquistão e na China, milhares de pessoas morreram afogadas por gigantescas enchentes.
Há a necessidade de políticas públicas e a nossa participação na proteção e conservação da natureza. A garantia da vida no planeta requer relacionamento saudável com o mundo, e, sobretudo, integração entre o amor a natureza, a Deus e as criaturas.
São Francisco, patrono da ecologia, rogai por nós!


Frei Atílio Abati, OFM

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Agenda PVF 2011 - Ano de Ação de Graças!



Cronograma 2011

Caravana dos Benfeitores Franciscanos
Ação de graças pelos 25 anos do PVF

Seminário Santo Antônio / Agudos – 23 a 26 de Junho

Dia com Maria e Frei Galvão:
Aparecida/Guaratinguetá – 31 de Julho
Aparecida/Guaratinguetá – 06 de Novembro

Encontro Franciscano:
Vila Velha - ES – 24 de Julho
Ituporanga – SC – 21 de agosto
Niterói - RJ – 13 de Novembro

Campanha:

Balneário Camboriú – SC / 8 e 9 de Janeiro
Florianópolis – SC / 15 e 16 de Janeiro
Concórdia – SC / 22 e 23 de Janeiro
Lages – SC / 29 e 30 de Janeiro
Curitiba – PR / 12 e 13 de Março
Chopinzinho – PR / 22 de março
Mangueirinha – PR / 24 de março
Pato Branco – PR / 26 e 27 de Março
São Paulo – SP (Pari) / 15 de Maio
São Paulo – SP (S. Francisco) / 29 de Maio
Vila Velha – ES / 19 a 23 de Julho
Ituporanga – SC / 20 e 21 de agosto
Bauru – SP / 10 e 11 de Setembro
Amparo – SP / 24 e 25 de Setembro
Nilópolis – RJ / 8 e 9 de Outubro
Niterói – RJ / 15 e 16 de Outubro
Rio de Janeiro – RJ / 18 de Outubro
São J. de Meriti – RJ / 22 e 23 de Outubro

Telefone para contato: (11) 3291-2424 ou (11) 3291-2416

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Frei Enéas parte para a missão em Angola!


“A vocação missionária é obra da graça”
Missa de envio missionário de frei Enéas


“Eis-me aqui Senhor, eis-me aqui Senhor, pra fazer sua vontade, pra viver no seu amor”.
O canto inicial da missa das 10.30hs desta manhã de quinta feira, indicava a dinâmica de toda a celebração que estava por iniciar. De fato, a comunidade paroquial, os frades do convento e paróquia São Francisco, bem como o ministro provincial Frei Fidêncio Vanboemmel e o definidor regional Frei Mário Tagliari, estiveram presentes para a missa de envio missionário de nosso confrade Frei Enéas Marcelo Prestes de Oliveira, que na tarde desta mesma quinta-feira parte em missão para terras angolanas.
Frei Fidêncio, que foi quem presidiu a celebração, começou sua homilia citando o último capítulo Geral da OFM que pede a todos os frades menores a restituírem ao mundo o Dom do Evangelho, e afirma: “evangelizar é fazer a experiência de Emaús, colocando-se na estrada para fazer uma oferta de fé mediante um testemunho partilhado. Quem partilha, restitui”. Também, afirma o ministro, nosso capítulo provincial insistiu no envio missionário de frades à Terra Santa e a Angola.
Assim sendo, recentemente dois confrades se colocaram à disposição: Frei Enéas Marcelo, que parte hoje para Angola; e, Frei João Maria dos Santos, que partirá em missão para trabalhos na Custódia da Terra Santa.
Relembra ainda Frei Fidêncio, que para São Francisco, a missão não nasce da iniciativa humana, mas por divina revelação. Portanto, a vocação missionária é obra da graça de Deus. Ninguém vai e nem pode ir para a missão por meras motivações humanas, nem por caprichos pessoais. De fato, para Francisco, o missionário parte para “terras distantes” em nome de Cristo, em nome da Igreja e em nome da fraternidade. E é por isso, que o confrade Frei Enéas, parte em missão representando toda a Ordem e levando consigo o principal apelo do já citado capítulo geral: “restituir tudo ao Senhor”.
Por feliz coincidência, a liturgia de hoje relembrava a grande profissão de fé de Pedro: “tu és o Cristo”, em nome do qual os grandes missionários da história partiram em missão. Apontar o Cristo, testemunha-lo, anuncia-lo acima de tudo, dentro dos valores e costumes de cada povo é tarefa daquele que se entrega à missão.
Ao final da celebração, o povo pode dar seu abraço caloroso ao irmão que parte, bem como suas palavras de força e carinho, testemunhos vivos de uma Igreja que é missionária e que acolhe com entusiasmo o gesto valoroso de um sim dado com o coração.
Ao nosso irmão Enéas, nosso abraço sincero e os desejos de um bom trabalho junto ao querido povo angolano.


Frei Enéas vai integrar a Fraternidade Franciscana Santo Antônio, em Quibala, juntamente com os outros missionários que lá atuam. É natural de Coronel Vivida, no Paraná. Nasceu no dia 19 de julho de 1978 e ingressou na Ordem dos Frades Menores no dia 11 de janeiro de 1999. Fez a profissão solene no dia 28 de agosto de 2005.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Entrevista com Frei José Carlos Pedroso!



Recomendo a todos os leitores do blog, apaixonados por Francisco e Clara de Assis, a leitura desta belíssima entrevista concedida pelo mestre em franciscanismo, Frei José Pedroso, ao site franciscanos. Vale a pena ler com qual leveza e propriedade ele fala sobre estes dois grandes santos.
Recomendo a leitura...o link do site está abaixo:

http://www.franciscanos.org.br/v3/cultura/entrevistas/entrevista_jose_carlos/index.php

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Pró-Vocações em Santa Catarina!



Pró-Vocações realiza campanha em Santa Catarina
25 anos a serviço da formação!

No mês de Janeiro, do dia 5 ao dia 30, o pró-vocações realizou mais uma campanha nas paróquias de nossa província, desta vez no sul. Passamos pelas paróquias: Santa Inês (Balneário Camboriú), Santo Antônio (Florianópolis), Sagrado Coração de Jesus (Forquilhinha), Nossa Senhora do Rosário (Concórdia), Convento Patrocínio de São José e Paróquia Nossa Senhora Aparecida (Lages).
Em cada paróquia que visitamos celebramos a missa divulgando o carisma e a espiritualidade franciscana. Convidamos mais fiéis a fazerem parte desta missão, de contribuírem na formação dos frades estudantes e missionários. Fizemos esta mesma divulgação e esse convite, em programas de rádio, como foi o caso de Forquilhinha, Concórdia e Lages.
Conforme a missão do pró-vocações, tivemos um grande contato com muitas pessoas; pessoas alegres com a presença dos frades, e empolgadas em fazerem parte do pró-vocações. Muitas pessoas admitiam que: “participando do PVF, seria um gesto de agradecimento aos frades pelo trabalho já prestado, e pela continuidade do trabalho em suas cidades”.
Na medida em que realizávamos nossa missão de divulgação do PVF, éramos retribuídos com uma feliz acolhida destas mesmas pessoas. Nas pequenas conversas, muitas pessoas nos confiavam suas orações, e essa passava a ser nossa nova missão.
Agradecemos as pessoas que passaram a ser nossos novos benfeitores. Obrigado por acreditarem em nossa vocação.
Fomos muito bem recebidos em cada lugar que passamos, não somente pelos fiéis, mas também por nossos confrades. Aqui, deixamos nosso agradecimento pela feliz acolhida. A todos nosso muito obrigado na mesma proporção que fomos recebidos.
Somos extremamente gratos, pelo Deus da vida, que nos presenteou durante este mês, com dias lindos, lugares maravilhosos e pessoas abençoadas. Obrigado Deus por abençoar nossa missão.

Frei Leandro Costa Santos, OFM